Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Curso sobre redação de patentes é realizado no campus Santana

Publicado: Quinta, 04 de Julho de 2019, 12h23

Henry Suzuki minstra capacitação em redação de patentes. Foto: Suely Leitão (Deice/Ifap)

Henry Suzuki ministra capacitação em redação de patentes. Foto: Suely Leitão (Deice/Ifap)

O Instituto Federal do Amapá (Ifap) deu início nesta quinta-feira (4/7), no auditório do campus Santana, ao curso Redação de Patentes, aberto à comunidade externa. A inscrição pode ser feita nesse link e o valor é um quilo de alimento não perecível. O objetivo é capacitar pesquisadores, inventores, empreendedores, estudantes e professores na redação da solicitação de registro de produtos no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) e assim garantir a propriedade, bem como a disponibilização no mercado.

Curso ocorre no auditório do campus Santana. Foto: Suely Leitão (Deice/Ifap)

Curso ocorre no auditório do campus Santana. Foto: Suely Leitão (Deice/Ifap)

Com 12 horas de duração, nos dias 4 e 5 deste mês, o curso é ministrado por Henry Suzuki, especialista em bases de dados técnicas, patentárias e científicas. É dividido em quatro blocos, envolvendo conteúdos como revisão de fundamentos sobre patentes e sua implicação no processo de redação e tramitação, guias e diretrizes para redação e análise de patentes, estratégias de redação de descrições de invenções, reivindicações e relatórios descritivos, construção de quadros reivindicatórios, elaboração de relatórios descritivos, busca e análise de patentes.

De acordo com o organizador, professor Lúcio Dias das Neves, do curso de Comunicação do campus Santana, a capacitação em redação de patentes contribui para o ecossistema de inovação do estado do Amapá, do qual o Ifap faz parte como instituição de ensino, pesquisa, extensão e inovação. A redação de patentes, afirmou, é uma dificuldade comum entre os interessados em registrar produtos e, por isso, precisam ser capacitados.

“Por exemplo, a gente cria um software e esse software precisa de proteção. É preciso entrar com pedido de registro junto ao Inpi e nesse pedido tem que ter uma redação correta para que esse produto seja registrado. Muitas vezes nesse momento temos essa dificuldade porque ainda não é uma dinâmica do nosso dia a dia”, explicou Paulo Neves.

 

Por Suely Leitão, jornalista da Reitoria

Departamento de Informação, Comunicação e Eventos - Deice
Instituto Federal do Amapá (Ifap)
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Twitter: @ifap_oficial
Facebook:/institutofederaldoamapa

registrado em:
Fim do conteúdo da página